MENU

30/11/2020 às 13h21min - Atualizada em 30/11/2020 às 13h21min

GP do Bahrein de F1: Hamilton vence corrida marcada pela explosão do carro de Grosjean.

A 15ª etapa da temporada ficou marcada pelo grave acidente de Romain Grosjean, depois que o Haas do francês explodiu ao colidir com o guard rail.

Gabriel Gavinelli
Do F1mania.net.com.
XP Images
Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio do Bahrein de Fórmula 1 deste domingo. A 15ª etapa da temporada ficou marcada pelo grave acidente de Romain Grosjean, depois que o Haas do francês explodiu ao colidir com o guard rail. Além do acidente de Grosjean, Lance Stroll capotou e Sergio Perez viu seu carro pegar fogo quando ocupada a terceira posição nos estágios finais da corrida.
Foi a vitória 95 da carreira de Hamilton, que conquistou o sétimo título mundial depois de vencer o GP da Turquia. Max Vestappen, na P2, e Alexander Albon, na P3, completaram o pódio bareinita. Sergio Perez ocupava a terceira posição até a volta 55, faltando duas para o final da corrida, mas seu motor Mercedes “fumou” e o mexicano abandonou. O safety car foi acionado e a corrida terminou nessas condições.
 
Se por um lado foi um péssimo dia para a Racing Point, foi um também de comemoração para a McLarenLando Norris recebeu a bandeira quadriculada na quarta posição, à frente do seu companheiro de equipe Carlos Sainz.
Pierre Gasly foi um dos destaques de todo o final de semana, coroado com a sexta posição na corrida. A nova geração da F1 brilhou no Bahrein com intensas disputas entre seus representantes.
Valtteri Bottas teve um final de semana para se esquecer no Bahrein. O finlandês dividiu a primeira fila com Hamilton, mas largou mal e perdeu posições. Na relargada, um furo no pneu obrigou Bottas antecipar sua parada e voltar em 16º. Foi uma “tocada” tranquila do piloto da Mercedes rumo a P8, tendo que se contentar em acabar atrás do Renault de Daniel Ricciardo.
Esteban Ocon, da Renault, e Charles Leclerc, da Ferrari, respectivamente completaram os 10 primeiros da zona de pontuação.
 
A corrida
Hamilton largou muito bem e manteve a dianteira. Em contrapartida, seu companheiro de equipe, Bottas, não fez um bom começo e perdeu duas posições. Verstappen assumiu a segunda posição, seguido por Perez.
Pouco depois, um impressionante acidente aconteceu. Grosjean tocou no AlphaTauri de Kvyat, bateu violentamente contra o guard rail e seu carro explodiu.
Foram momentos de tensão antes do francês emergir em meio a bola de fogo que seu carro de transformou.
A forte batida aconteceu na terceira curva do circuito, quando ele estava tentando ultrapassar um carro da AlphaTauri. Com a batida forte, carro ficou preso entre o guard rail e houve uma grande explosão.
A cena foi chocante e provocou angústia nos telespectadores e pilotos. A bandeira vermelha foi agitada imediatamente

 Grosjean ficou preso em uma enorme bola de fogo, antes de ser retirado pelo médico F1. O piloto da Haas sofreu queimaduras e também foi relatado uma possível fratura nas vértebras.
A corrida foi interrompida por mais de uma hora para a retirada dos destroços do Haas de Grosjean e para reconstrução do guard rail, completamente destruído.
Na relargada, outra bandeira vermelha veio antes mesmo que a volta três fosse completada e novamente Kvyat esteve envolvido. O russo tocou no Racing Point de Stroll, que capotou. Novamente foi uma cena assustador, mas o canadense saiu tranquilamente do carro.
A bandeira verde veio no oitavo giro. Hamilton não deu chances para Verstappen, que foi atacado por Perez. O piloto da Red Bull manteve a terceira posição e já estava mais de quatro segundos à frente do mexicano. Verstappen tentava se manter perto de Hamilton. Bottas foi aos boxes com um pneu furado e voltou na P16.
Leclerc e Ocon travaram uma grande disputa pela P6, com o francês levando a melhor.
Hamilton fez sua parada na volta 20 e optou novamente pelo pneu médio. O britânico voltou na terceira posição, atrás de Perez e Verstappen que ainda não haviam realizado suas paradas.
Verstappen trocou seus compostos médios por duros uma volta depois e retornou à pista pouco mais de sete segundos atrás de Hamilton. Perez também parou, mas perdia tempo atrás de Sainz e Gasly – que ainda não haviam parado.
Na volta 22, Sainz optou pelos médios como substitutos para os pneus macios que usava desde o início da corrida. O espanhol perdeu a posição para Ricciardo nos boxes, que antecipou seu pit stop e ganhou a posição.
Leclerc parou nos boxes na volta 24 e deixou Gasly como o único na pista a não ter realizado a troca de pneus. Leclerc voltou em 12º, enquanto Vettel era o 17º.
Norris fez uma bela ultrapassagem sobre o Bottas na disputa pela sexta posição. Ambos vinham em estratégias diferente e o finlandês da Mercedes nem ofereceu resistência. Duas voltas depois, na 26, Bottas foi aos boxes para o seu segundo pit stop.

Depois que Gasly foi aos boxes para trocar seus pneus, Ocon tentou se defender de Sainz na disputa pela P6. Mesmo assim, o espanhol conseguiu ultrapassar por fora.
Bottas voltou muito rápido depois do seu segundo pit stop e atacava Leclerc na briga pela 10ª posição.
Na volta 34, Verstappen fez outra parada para tentar ganhar a posição de Hamilton nos boxes. Mas o pit stop do holandês não foi bom – uma raridade se tratando da Red Bull – e ele perdeu tempo. Enquanto isso, Hamilton fez seu pit stop uma volta depois e tranquilamente manteve a liderança da corrida.
No giro 37, foi a vez de Perez e Ricciardo irem aos boxes. Se a Racing Point trabalhou bem e liberou rapidamente seu piloto, não foi o mesmo com a Renault. Ricciardo perdeu tempo e voltou imediatamente atrás de Ocon, com a dupla travando disputa pela P10. O australiano abriu a asa e por fora ganhou a posição do seu companheiro de equipe.
Norris e Gasly mostraram o que os próximos anos da F1 devem trazer. Os representantes da nova geração da F1 disputaram posição lado a lado, mas foi Norris que levou e melhor e ficou com a quinta posição.
Na volta 47, faltando 10 voltas para o fim da corrida, Verstappen não conseguia se aproximar de Hamilton, por outro lado, tinha mais de 23 segundos de vantagem sobre o terceiro colocado Perez. O piloto da Red Bull foi aos boxes colocou pneus médios novos, na tentativa de faturar o ponto extra pela volta mais rápida da corrida.
Faltando duas voltas para o fim da corrida, foi a vez do drama de Perez. O mexicano abandonou depois que seu motor Mercedes pifou e pegou fogo. Alexander Albon herdou a posição do piloto da Racing Point e completou o pódio na terceira posição.

 

 
Confira o resultado final:
1) Lewis Hamilton (Mercedes)
2) Max Verstappen (Red Bull/Honda)
3) Alexander Albon (Red Bull/Honda)
4) Lando Norris (McLaren/Renault)
5) Carlos Sainz Jr. (McLaren/Renault)
6) Pierre Gasly (AlphaTauri/Honda)
7) Daniel Ricciardo (Renault)
8) Valtteri Bottas (Mercedes)
9) Esteban Ocon (Renault)
10) Charles Leclerc (Ferrari)
11) Daniil Kvyat (AlphaTauri/Honda)
12) George Russell (Williams/Mercedes)
13) Sebastian Vettel (Ferrari)
14) Nicholas Latifi (Williams/Mercedes)
15) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari)
16) A.Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari)
17) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari)
OUT) Sergio Pérez (Racing Point/Mercedes)
OUT) Lance Stroll (Racing Point/Mercedes)
OUT) Romain Grosjean (Haas/Ferrari)
 
Campeonato 2020:
1) Lewis Hamilton, 332 pts
2) Valtteri Bottas, 201
3) Max Verstappen, 189
4) Daniel Ricciardo, 102
5) Sergio Pérez, 100
6) Charles Leclerc, 98
7) Lando Norris, 86
8) Carlos Sainz Jr., 85
9) Alexander Albon, 85
10) Pierre Gasly, 71
 
 
PARCEIROS CLUBE EXPRESS
Maringá
-Veículos:
   Golden Car  Locadora
- Animais:
   Animal Center Maringá
- Alimentos e Bebidas
  Fatima Rico Tortas
- Lojas:
  Ricardo Eletro
- Clínicas:
  Clínica da Alma
- Vida Saudável
  Armazém Vida Saudável
Marialva:
- Papelarias:
  Papelaria Planalto
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Fale Conosco
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp